Oratória

Oratória com liberdade: 4 dicas para falar bem em público

Oratória com liberdade: dicas para falar bem em público
Escrito por Cristiane Romano

Você sabe dos segredos para cativar as pessoas? Conhece os meios para chamar a atenção de seus ouvintes?

Falar em público com naturalidade é uma necessidade comum. Às vezes, a atividade é central para um cargo ou posição, mas, ainda assim, é recorrente nos sentirmos um pouco confusos e a linguagem acabar não fluindo do jeito que gostaríamos, não é mesmo?

Será que existem formas mais efetivas de fazer um discurso ou conduzir uma reunião? Se você desenvolve sua oratória com liberdade, tudo tende a ficar mais fácil. Seus pensamentos são formulados com clareza e você se torna capaz de projetá-los.

No entanto, como fazê-lo? Pensando nisso, nós listamos 4 dicas logo abaixo para te ajudar. Confira!

1. Sinta-se à vontade

Para que se sinta à vontade diante de uma multidão ou de um pequeno grupo de pessoas, você precisa demonstrar isso a elas e também a si mesmo.

A expressão corporal e facial são dois componentes importantes para atingir esse feito. Conforme os outros sentem a confiança em seus movimentos, a tendência é que se sintam mais livres para confiar em você.

Portanto, antes de sua apresentação ou reunião, evite ficar muito tenso. Faça atividades reconfortantes, que te animem, e concentre-se com aquecimentos de voz e alguns exercícios de alongamento, se possível.

A respiração também é uma grande aliada, já que ajuda a diminuir a frequência cardíaca. Tente controlá-la a partir de técnicas específicas. Uma dica bem simples é respirar lentamente por um tempo. Ao oxigenar o cérebro, você diminui a ansiedade e fica mais confiante. 

2. Seja claro e direto

Comunicar-se bem não é um sinônimo de falar muito, sabia? De nada adianta querer fazer com que seus ouvintes te escutem com atenção durante muito tempo se você está falando de maneira incompreensível.

Faça pequenas pausas em seus raciocínios para que eles jamais percam o andamento daquilo que você está transmitindo. Depois de comunicar uma ideia mais complexa, deixe que recebam aquilo.

Todo tópico que você vai tratar deve ser formado por três estágios:

  1. Introdução: apresente seu pensamento, sobre o que você pretende falar e por que você está falando disso;
  2. Desenvolvimento: mostre o conteúdo principal da sua fala, dê argumentos e exemplos contextuais, sem perder o foco;
  3. ​Conclusão: feche os raciocínios elaborados ao longo da fala e convide o ouvinte a refletir.

Seja direto independentemente do que tema sobre o qual você está falando. Não faça digressões longas, porque desta forma você pode perder o fio da meada e fazer com que a audiência se perca.

Ou seja, dê preferência às falas diretas e tenha a clareza como principal foco. Afinal, você não quer ser apenas ouvido, mas sim compreendido, certo?

3. Tenha naturalidade

O ideal é que você treine e esteja preparado para a ocasião. Contudo, nem tudo na vida é passível de ensaios. Demonstrar naturalidade por meio de alguns improvisos pode conquistar o público logo no início do discurso.

Com o microfone na mão, mantenha a concentração, mas sem parecer tenso ou robótico demais. Sua autoridade não ficará comprometida por um sorriso ou por ser descontraído na medida certa. Uma oratória com liberdade permite adaptações.

4. Prepare-se

Falar livremente não é conversar desorganizadamente. Para manter a paz de espírito enquanto você fala, adeque-se à situação: preparar-se da forma correta é imprescindível.

Enquanto fala, esqueça a autocrítica e não diga as palavras com muita velocidade. Sinta-se confiante, buscando a sua real motivação de estar ali. Sendo assim, você controlará a ansiedade, mostrando ao público toda a convicção que há em você. Dessa forma, você se aproximará da oratória com liberdade.

Esse conceito, desenvolvido por mais de 16 anos pela Dra. Cristiane Romano, se consiste em comunicar com paz interior, sem dar atenção ao autojulgamento e ao julgamento de sua plateia. É uma maneira de se apresentar com a expressividade oral em sua totalidade, por meio de recursos vocais, verbais e não verbais. 

Este post te ajudou? Então compartilhe-o nas redes sociais para que ele possa ajudar outras pessoas!

Sobre o autor

Cristiane Romano

Fonoaudióloga de formação, sempre foi apaixonada por Oratória e durante sua carreira percebeu o quando as pessoas deixam de ganhar e crescer profissionalmente por não possuírem domínio da oratória. Nos últimos 15 anos tem estudado e aplicado suas técnicas para milhares de pessoas, técnicas essas desenvolvidas e validadas em seu Mestrado e Doutorado pela Universidade de São Paulo (USP). Possui também formação internacional pela Universidade de Ohio nos Estados Unidos.

Deixar comentário.

Share This