Oratória

O que é a oratória?

O que é a oratória
Escrito por Cristiane Romano

Muitas pessoas apresentam ótimo desempenho profissional e possuem grande capacidade de liderança e experiência. No entanto, quando surge a necessidade de falar em público, esses mesmos profissionais se deparam com algumas dificuldades. Nervosismo, falta de desenvoltura, fala desordenada… são alguns dos problemas mais comuns.

Se você se identifica com tal situação, saiba que existem meios para contornar esse problema. O principal deles, sem dúvidas, são as técnicas de oratória. Um número incontável de pessoas pôde perceber, na prática, como é possível, a partir de muito treinamento, passar a falar bem em público.

Neste post, vamos explicar o que é a oratória e oferecer algumas dicas sobre como é possível melhorar sua habilidade de comunicação. Confira!

Oratória ou retórica?

Nem antônimas nem sinônimas. Oratória e retórica são palavras com significados diferentes, mas que pertencem ao campo da comunicação. Basicamente, a oratória é uma metodologia para desenvolver a arte de falar em público, de maneira objetiva e clara, de modo que se atraia a atenção da plateia. A oratória é composta por técnicas que envolvem a qualidade da fala, a dicção e a postura corporal.

Já a retórica está mais ligada à capacidade mental do orador. Ela se preocupa essencialmente com o conteúdo e tem como função persuadir o interlocutor. Contudo, a retórica não está necessariamente vinculada à ação de falar diante dos outros; você pode ter uma boa retórica apenas se expressando por escrito.

Sendo assim, as grandes dificuldades que enfrentam alguns executivos nas empresas, na hora de se expressar, em sua maioria, não são problemas inerentes à retórica, e sim à oratória. A boa notícia é que a oratória é uma habilidade que pode ser aprendida e treinada.

Como ser um bom orador?

Essencialmente, o bom orador conhece o assunto sobre o qual está falando e tem um ritmo de fala adequado. Portanto, para desenvolver o conhecimento sobre o tema a ser tratado, ele deve estudá-lo e organizá-lo. 

Uma dica é começar a pesquisa se perguntando qual é o objetivo daquilo que vai ser abordado e depois buscar, pelo menos, alguns elementos que justifiquem sua explanação.

Outro ponto a ser considerado para se transformar em um bom orador é reparar no ritmo de sua fala. Não adianta acelerar as palavras para dar tempo de explicar tudo aquilo que você tem a dizer.

Tente falar pausadamente, pronunciando cada sílaba da palavra. Você pode exercitar isso fazendo uma leitura em voz alta do seu discurso, com antecedência. Assim, você vai conseguir falar bem diante das pessoas.

Como evitar o nervosismo na hora de falar em público?

Você preparou o discurso, conhece o assunto como ninguém, mas na hora de falar bate aquela tremedeira nas pernas, a boca fica seca e você sente falta ar. Quem entende o que é a oratória e conhece suas técnicas, vai conseguir amenizar ou até mesmo eliminar esse nervosismo.

Geralmente, esse pânico ocorre por falta de uma respiração adequada. Muita gente acaba respirando rápido, criando uma sensação de desespero no corpo. Com isso, tente inspirar e expirar, sempre se concentrando no fluxo de ar que entra e sai do seu corpo. Esse processo vai trazer tranquilidade no momento de falar e pode até aumentar o potencial de sua voz.

Outra dica é melhorar a postura corporal. Tente fazer exercícios de alongamento, principalmente na região do pescoço. Quando você está alongado, seu corpo fica mais relaxado e apresenta menos chances de entrar em um “estado de estresse”.

Quais as principais técnicas de oratória?

Até aqui apresentamos dicas genéricas relacionadas à oratória. Neste tópico, você poderá conhecer a fundo algumas técnicas elaboradas com o intuito de ajudar quem tem problemas para falar em público.

Dicção

Dicção é a forma como uma pessoa articula e pronuncia as palavras de determinada língua. Dessa maneira, não ter uma boa dicção significa não se expressar oralmente da maneira adequada.

Um bom exercício para melhorar este aspecto da fala é ler textos em voz alta com algum obstáculo na boca, como o dedo indicador dobrado sobre os dentes inferiores. Durante a leitura, você deve ler as palavras pronunciando cada sílaba sem cometer erros comuns, como esquecer dos fonemas /i/ e /s/ em algumas palavras.

Observe, por exemplo, as palavras “terceiro” e o nome próprio “Marcelo”. Diga sempre “terceiro” e não “teceiro”. Ou, ainda, “Marcelo” e não “Macelo”. Tratam-se de erros banais, mas que são cometidos frequentemente por quem tem problemas com dicção.

Gesticulação

O nosso corpo fala. Esta é uma daquelas frases encontradas com frequência nos livros de psicologia comportamental e nada resume melhor a forma como nos portamos ao falar, porque, à medida que movimentamos nossos braços ou apresentamos determinadas posturas corporais, estamos atribuindo sentido às frases que pronunciamos.

Desta maneira, é importante saber o que fazer com o nosso corpo em meio a uma explanação. Onde colocar as mãos? Devo andar ao falar? É importante manter a cabeça erguida?

Nesse sentido, é importante entender que não existe uma fórmula para todas as situações. Cada caso demandará uma determinada postura. Ainda assim, existe um excelente conselho para quem busca apresentar-se de forma mais relaxada ao falar.

Primeiramente, observe a maneira como você se porta junto a seus amigos e familiares. Isto é, quando você está tranquilo, de que forma age ao falar? Os seus braços se movimentam com naturalidade? Você pouco se mexe?

A sua postura nesses momentos deve ser reproduzida em situações de estresse, uma vez que se trata da forma como você melhor se faz entender. Claro que aqui existe um exercício de ponderação. Posturas muito espalhafatosas, que causem estranhamento frente ao público, devem ser evitadas.

Intensidade da voz

Uma característica comum entre pessoas extremamente tímidas é falar em voz baixa. Em alguns casos, a voz do indivíduo chega a ser inaudível. Nesses casos — e naqueles em que a pessoa busca simplesmente ser um melhor orador —, a solução em vista é treinar para chegar a um tom de voz considerado ideal.

Isto não significa falar alto demais, muito menos gritar. Combinadas uma boa dicção e postura, você deve se dirigir a seu público com a entonação certa. Isso implica falar de forma pausada e em um volume que todos possam ouvir.

Como se comportam grandes oradores?

Ao longo da história, grandes líderes galgaram importantes posições graças ao poder da oratória. Com uma capacidade incrível de convencer e cativar seus ouvintes, essas pessoas, de forma consciente ou não, utilizavam-se de algumas técnicas para expressar suas ideias da melhor maneira possível.

Um exemplo recente é o do ex-presidente americano Barack Hussein Obama — primeiro americano negro a chegar à Casa Branca. Independentemente da avaliação de seu governo, todos hão de concordar que ele tem uma habilidade incrível para se comunicar.

Nesse sentido, chama a atenção a forma como ele lidava com “saias justas”. Nesses momentos, ele se valia da regra número 1 de mídia training, que é responder aquilo que se quer responder e não necessariamente ao que foi perguntado.

Obama fazia isso como ninguém e, na maioria das vezes, se saia muito bem e acabava arrancando risadas da plateia em vez de novos questionamentos.

Gostou deste artigo? Deixe um comentário para tirar suas dúvidas ou compartilhar suas experiências.

Sobre o autor

Cristiane Romano

Fonoaudióloga de formação, sempre foi apaixonada por Oratória e durante sua carreira percebeu o quando as pessoas deixam de ganhar e crescer profissionalmente por não possuírem domínio da oratória. Nos últimos 15 anos tem estudado e aplicado suas técnicas para milhares de pessoas, técnicas essas desenvolvidas e validadas em seu Mestrado e Doutorado pela Universidade de São Paulo (USP). Possui também formação internacional pela Universidade de Ohio nos Estados Unidos.

1 comentário

Deixar comentário.

Share This